Press Release
 
GRANDE MOVIMENTAÇÃO COM NEGÓCIOS CONCRETIZADOS, ENCOMENDAS, PRÉ-PEDIDOS E VISITAÇÃO QUALIFICADA SÃO PONTOS FORTES DA EXPOBOR 2010
COM PERIODICIDADE BIENAL, A CADA EDIÇÃO DA FEIRA INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA, MÁQUINAS E ARTEFATOS DE BORRACHA – EXPOBOR 2010 OS RESULTADOS APRESENTADOS PELO EVENTO VÊM SE SUPERANDO NOS ÚLTIMOS ANOS.
Um dos termômetros é a boa fase da indústria de artefatos de borracha, reforçada pela visitação qualificada e negócios concretizados, além de encomendas e pré-pedidos iniciados nos estandes dos expositores que prometem se efetivar ao longo do ano.

Ademar Queiroz do Valle, diretor da Associação Brasileira da Indústria de Artefatos de Borracha - ABIARB e do Sindicato da Indústria de Artefatos de Borracha no Estado de São Paulo - SINDIBOR, entidades parceiras da Francal Feiras na realização do evento, diz que os resultados alcançados foram excelentes e ter bons motivos para já começar a trabalhar no evento de 2012. “A expectativa inicial em termos de concepção de negócios, encomendas e pré-pedidos superou em 50% as projeções iniciais do evento. Os profissionais de maquinário, equipamentos e matéria-prima estão muito satisfeitos com esta edição da feira”, comemora.

Presente em todas as edições da Expobor, a Auriquímica teve neste ano seu melhor desempenho, num contexto em que o aumento da visitação se deu gradativamente, conforme analisa a Gerente de Marketing da empresa, Graziela Fagundes.

“O número de pessoas aumentou substancialmente um dia após o outro. De fato, podemos concluir que a nossa participação foi mesmo muito boa”, comemora Graziela. Segundo ela, “por ter como parceiros grandes conglomerados que também estão presentes na feira, como a Lanxess, Quantiq e Rhodia, o estande da Auríquímica esteve lotado durante todos os dias do evento, gerando contatos e possíveis negócios no pós-feira” relata.

Para Roseli Rizzo, do departamento de Marketing do grupo Rhodia, a Expobor é fundamental no seu calendário de eventos: “A feira é muito importante para reforçarmos a nossa marca no mercado. Se não estivéssemos aqui, as empresas iriam estranhar”, conta. Rizzo também destacou a qualidade na visitação. Segundo ela, ao longo dos quatro dias de feira passaram muitos visitantes de países da América Latina, e estados como Bahia e São Paulo: “Na quarta-feira, segundo dia do evento, chegamos a receber aqui mais de cem pessoas”, revela.

Mesmo com uma participação mais institucional, a Votorantim Metais considera o nível de contatos elevado, e já se prepara para o pós-feira, com vistas a vendas futuras. Para a Analista de Vendas da empresa, Cláudia Romano, “a feira deste ano foi melhor que a de 2008, tanto em termos de visitação quanto de negócios. Ela diz que “a melhora foi evidente, e a empresa já está prospectando um pós-feira muito bom”.

Conhecida por sua presença forte no mercado, a estreante Amazonas também se diz otimista com os contatos realizados durante a feira: “Foram bons e certamente vão levar a negócios”, prevê Fernando Minervino de Castro, Gerente de Vendas da empresa. Para quem esperava apenas reforçar a presença da marca, ele ressalta o perfil do visitante do evento como um aspecto fundamental: “Foi extremamente proveitoso participar de uma feira de matéria-prima como essa”, destaca.

Neste ano, um dos aspectos que mais chamou a atenção do engenheiro e Assistente Técnico da Cabot, Edgar Citrinite, foi a atmosfera de otimismo percebida entre as empresas participantes. “Nesta edição, senti que os expositores estão ainda mais otimistas do que em 2008, assim como nós. Acredito que no mercado até existe uma velocidade de crescimento que não acompanha a produção de matérias-primas”, confessa.

Vendas e contatos marcaram a participação da Imesa na Expobor. Estreante no evento, a empresa, que tem matriz na Itália, está crescendo no mercado brasileiro e a participação na feira veio para confirmar este momento.

“Visitamos a feira em 2008 e nos sentimos na obrigação de participar”, conta João Paulo Victorio, Gerente de Vendas da Imesa. Ainda segundo ele, “os bons resultados comprovam a decisão da empresa”. Durante a feira, a Imesa vendeu uma máquina de corte de manta de borracha. Além disso, contatos pós-evento alimentam o otimismo do representante da empresa, cuja produção, no Brasil, acontece em Novo Ham


Data: 23/04/2010